Melhorar a balneabilidade das praias, despoluir rios e canais e levar esgoto sanitário e água tratada à população que mora nos municípios de Caraguatatuba, São Sebastião, Ubatuba e Ilhabela, no Litoral Norte de São Paulo, são alguns dos objetivos dos programas Onda Limpa e Água no Litoral, conduzidos pelo Consórcio Sanear Litoral Norte, que é liderado pela Sondotécnica.

Esta é a segunda fase do projeto, idealizado pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (SABESP), e envolve números significativos. Estão em andamento a construção de 21 estações elevatórias de esgoto, duas barragens, duas estações de tratamento de água, uma estação de tratamento de esgoto, 47.879,66 m de rede coletora, três subestações, 7.527 unidades de ligações domiciliares, um emissário de 6.575,13 m, uma adutora de 3.984,86 m, dentre outras estruturas.

“Essas obras têm potencial para levar diversos benefícios à população, como a redução das internações por doenças de veiculação hídrica e, consequentemente, a diminuição dos índices gerais de mortalidade, especialmente infantil. Além do incremento ao turismo, com aumento da renda e geração de empregos, por conta da melhoria da qualidade da água das praias, rios e canais”, ressalta o gerente de Saneamento e Habitação da Sondotécnica, Leo Queirolo.

A implementação do empreendimento visa também a redução das despesas de operação e manutenção das redes de água e esgoto e a melhoria e preservação da qualidade dos recursos hídricos utilizados nessa região, contribuindo para a universalização dos serviços de saneamento dos municípios operados pela SABESP no Litoral Norte de São Paulo.

Pioneira no país em desenvolver projetos com BIM (sigla em inglês para Building Information Modeling ou Modelagem de Informação de Construção), a Sondotécnica utilizou a tecnologia na concepção da Estação de Tratamento de Esgotos Central de Ilhabela. A metodologia reúne o que há de mais moderno para solucionar e prevenir problemas comuns em obras como gastos não previstos, alterações de cronograma e incompatibilidades entre os diferentes projetos.

Essa Estação de Tratamento conta com um sistema inovador que transforma o lodo gerado durante o tratamento do esgoto em “energia” para alimentar parte das necessidades energéticas da administração da própria ETE. O projeto foi apresentado na última Feira Nacional de Saneamento e Meio Ambiente – FENASAN22, maior evento do setor na América Latina, pelo engenheiro da Sondotécnica Luiz Alário no painel “Inovação tecnológica no tratamento de esgoto de Ilhabela: BIM e GIS para obtenção da sustentabilidade ambiental”.

Durante a feira, os participantes puderam conhecer a estrutura, inclusive interna, da estação com óculos de realidade virtual. Por meio do VR Collab do Construtivo, empresa de Tecnologia da Informação que oferece soluções para o setor de engenharia, os visitantes fizeram um passeio virtual pela ETE com o óculos Quest 2.


Compartilhe!