Sondot�cnica Engenharia

Nosso Fundador

Jaime Rotstein
Uma história de Trabalho e Serviços ao Brasil

Jaime Rotstein fundou a Sondotécnica em 1954. O que poderia ser apenas a trajetória comum de um empresário bem-sucedido tornou-se um exemplo de dedicação, colaboração e trabalho contínuo em defesa do progresso de nosso país.

Para Jaime, conduzir uma empresa nunca foi o bastante. Segundo suas próprias palavras “É dever do homem de bem trabalhar em prol da sociedade, querer mais, buscar o conhecimento, deixar um legado para nossas gerações futuras”. E é isso que Jaime Rotstein tem procurado fazer em seus mais de 50 anos de carreira.

Esses princípios e conduta acompanham o empresário desde sua infância e adolescência.

Sua família, de origem simples, veio da Polônia para o Brasil na década de 20. Seu pai foi uma importante influência em sua vida. Com ele aprendeu a valorizar a importância do trabalho desde cedo. Jaime Rotstein começou a trabalhar com apenas 11 anos, não apenas para ajudar nas despesas de casa, mas também por possuir um forte espírito empreendedor.

A maturidade era uma característica presente e visível em um garoto que tinha como um de seus hobbies favoritos a literatura.

Sua mãe também foi figura decisiva em sua vida. Com grande visão e capacidade de prever as áreas de maior crescimento no futuro, orientou o filho a fazer uma escolha entre dois mercados: engenharia ou química.

Jaime optou pela primeira, e em pouco tempo já ingressava na Escola Nacional de Engenharia do Rio de Janeiro. Aluno de destaque, chamou a atenção de professores e importantes profissionais do mercado de engenharia, com os quais estaria trabalhando em pouco tempo.

Com apenas 25 anos de idade - e contando com o apoio de importantes figuras da área de engenharia como os engenheiros Tasso Costa, Nilo Colonna dos Santos e o Professor Antônio José da Costa Nunes – Jaime Rotstein fundou a Sondotécnica.

Desse momento em diante, seria construída não apenas uma carreira de sucesso, como também uma trajetória de vida repleta de realizações profissionais e cívicas.

Ainda frequentava as salas de aula da Escola Nacional de Engenharia, quando se engajou na campanha “O Petróleo é nosso”, ao lado do seu primeiro chefe, o engenheiro Luiz Hildebrando de Barros Horta Barboza (Presidente do Comitê Diretor da Campanha).

Assumiu posições de liderança em assuntos vitais para os interesses do Brasil, como a Campanha de Defesa de Engenharia, a qual resultou no decreto (64.345 de 10/04/1969) que fundamentou a categoria.

Ganhou o apelido de Mr. Know-How ao cursar a Escola Superior de Guerra em 1965. Criou a Associação Brasileira de Engenharia e Saneamento, que se transformou na Associação Brasileira de Engenharia Sanitária – ABES, recebendo o título de Patrono da Memória da Engenharia Sanitária e Ambiental em 1999.

Teve destacada atuação na defesa do uso intensivo do álcool combustível, recebendo em 1983 o título de Pioneiro do Álcool Carburante, conferido pelo Instituto de Engenharia de São Paulo.

Em 1986, foi nomeado pelo Presidente da República, José Sarney, para a Comissão Nacional de Energia, por notório saber e ilibada reputação. Em março de 1999, foi eleito para o Conselho de Administração da Petrobras e da BR Distribuidora, oportunidade em que expôs e defendeu a tese de aproveitamento máximo do petróleo pesado brasileiro a ser refinado no Brasil. Ainda em 1999, integrou o Conselho Municipal de Desenvolvimento Econômico do Rio de Janeiro.

Além de uma destacada vida empresarial e pública, Jaime Rotstein participou de dezenas de conferências, mesas-redondas e programas de TV no Brasil e no Exterior. Escreveu diversos artigos e publicou 13 livros que podem sintetizar grande parte de suas idéias e de sua filosofia.